Implantes PIP (Poly Implant Protheses) e Rofil – Trocar preventivamente ou não?

by Equipe Projeto Mama on 13 de janeiro de 2012

in Mamoplastia

protese slider Implantes PIP (Poly Implant Protheses) e Rofil    Trocar preventivamente ou não?

Imagem meramente ilustrativa. Fonte: Istockphoto.com

 

É mais seguro programar a troca preventiva das próteses mamárias das marcas PIP (Poly Implant Protheses) e Rofil? Seria melhor permanecer com os implantes dessas marcas, continuar o seguimento com o seu médico e marcar a cirurgia para a troca apenas em caso de ruptura das mesmas? Como vimos anteriormente, as orientações variam conforme o país.

Como afirmou a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, é preciso lembrar que a troca dos implantes é um procedimento cirúrgico e deve ser tratado com o devido cuidado e preparo. Antes de considerar a cirurgia para a troca, a paciente deve estar em boas condições de saúde para garantir que a mesma seja realizada com o máximo de segurança. Além disso, governos e autoridades sanitárias afirmam que, segundo as evidências disponíveis até o momento, os implantes PIP ou Rofil oferecem risco à saúde apenas se estiverem rotos.

Porém, enumeramos a seguir alguns fatores que favorecem a troca preventiva (mesmo que não haja ruptura) desses implantes:

  1. As investigações indicam que, apesar de não se saber qual a composição exata do gel de silicone PIP e Rofil, este é impróprio para uso em seres humanos.
  2. Não há como prever em quanto tempo esses implantes se romperão.
  3. A taxa de ruptura desses implantes aparentemente é muito superior do que o aceitável (pode ser até 5 vezes maior do que a de outros implantes) .
  4. Não existe um algoritmo bem estabelecido que oriente qual a periodicidade mais segura com que os exames de imagem, como ultra-som e ressonância magnética, devem ser realizados para detectar a ruptura desses implantes.
  5. Após a ruptura, a cirurgia para a troca pode ser mais difícil e trabalhosa por conta do extravasamento desse produto de composição ainda pouco conhecida. Nesse caso, pode haver uma inflamação dos tecidos locais que demande uma limpeza cirúrgica e dificulte a remoção de 100% do material.
Resumidamente, acreditamos que, caso a paciente apresente boas condições clínicas, deve discutir com o seu cirurgião a possibilidade de agendar a troca preventiva dos implantes PIP.
Revised on 13 de março de 2012

Post escrito por...

– who has written 31 posts on Blog do Projeto Mama.

Dr. Eduardo Gustavo Pires de Arruda (CRM 93.732) - Diretor Técnico Médico e Dr. Walter Koiti Matsumoto (CRM 112.144 / RQE 29.115) - Cirurgião Plástico

Entre em contato com o Projeto Mama

Previous post:

Next post: